Sobre Tayná

Carioca que adora maquiagem, cinema, comida boa, compras e livrarias. Dona do blog Faça Bom Uso e estudante de Letras com muitas ideias e sonhos para realizar.

[Pessoal] A primeira vez que eu chorei assistindo A Culpa é das Estrelas

Eu sou uma pessoa chorona. Daquelas que, em dias mais sensíveis, chora até com comercial de TV. E quando as minhas amigas me contaram a, mais ou menos, dois anos atrás que eu cairia em prantos assistindo o mais famoso romance de John Green, “A Culpa é das Estrelas”, eu não esperava menos do que um banho ininterrupto de lágrimas. Afinal de contas se as minhas amigas, que são bem mais resistentes a choros em sessões de cinema do que eu, saíram destruídas, eu não poderia esperar nada menos de mim.

Acontece é que eu não assisti ao filme nos cinemas. Nem no SKY On Demand. Nem no Netflix ou em sites para baixar/assistir filmes online. Por falta de grana e tempo, eu me vi na constante expectativa de assisti-lo e, infelizmente, ele saiu de cartaz antes da oportunidade chegar. E eu tenho preguiça de usar o Sky On Demand. E eu não tenho uma conta no Netflix. Resumindo: eu não assisti.

Até que surgiu a chance de assistir na casa de uma amiga. Lá fomos nós, essas mesmas amigas que saíram aos prantos da sala de cinema e eu, com um balde de pipoca na mão e meses de expectativa. “Aposto como você vai amar a história! Duvido como você não chora no final, amiga, você sempre chora”, disse uma delas sorridentes. Mas acontece que, naquele momento, eu não estava concentrada na história de verdade, entende?

Sendo sincera, eu AMEI Hazel e Augustus. Eles são maravilhosos, a história é maravilhosa, o amor deles é lindo demais, mas ainda não tinha rolado aquela conexão que faz com que você de fato viva a história e chore (muuuuuuito) no final (com direito a um “mas que porra, John Green!”, com a voz totalmente embargada). E talvez pela identificação pessoal com a situação – pelo fato de dois dos meus familiares terem sofrido com o câncer – era mais do que esperado que eu chorasse. Mas eu não chorei. Era expectativa demais, sabe?

Continuar lendo

Anúncios

[Pessoal] A importância de ser você mesma

a-importancia-de-ser-voce-mesma-foto-3Há seis meses eu tomei uma atitude que me mudou por completa. Há seis meses eu decidi me amar do jeito que eu sou. Há seis meses eu decidi que secador e prancha não fariam mais parte da minha vida – pelo menos não do jeito que faziam antes.
Há seis meses eu disse sim para mim, para quem eu sou, para as minhas raízes, para o que eu penso, para me descobrir de verdade (eu nunca soube como é meu cabelo natural até hoje).

Não foram meses fáceis de aguentar. Tive que remar contra uma maré carregada de preconceito, rejeição, piadinhas cheias de ofensas e até a falta de apoio – inicialmente – daqueles que mais me amam. Mas TUDO valeu a pena! TUDO! Continuar lendo

[Beleza] Nova linha da esmaltes Risqué

post sobre esmaltes 07Oi, gente! Hoje post é sobre esmaltes e, depois de uma eternidade para escrevê-lo,  finalmente ele saiu! haha

Tudo começou quando eu fiquei a-pai-xo-na-da por um esmalte nude que minha avó ganhou de presente e, a partir daí, eu fiquei doida para comprar um para mim. Só que, depois de experimentar o tal esmalte, eu fiquei um tanto decepcionada com a qualidade do produto e resolvi procurar de outras marcas, que fossem até mais acessíveis. E qual o primeiro lugar que você pensa quando quer comprar um esmalte? Farmácia!Eu não sei vocês, mas eu sou uma daquelas pessoas que adora ir à farmácia. A gente sempre pode encontrar bons produtos por um preço justo.

E, durante a minha caçada pelo nude dos sonhos, eu reparei que os esmaltes da Risqué estavam com uma embalagem diferente, mais moderna. Curiosa, comecei a ler os rótulos e percebi que a marca está, sim, diferente e não só na embalagem, mas também na fórmula dos produtos! E as mais beneficiadas com as mudanças são as alérgicas.

post sobre esmaltes 02 Continuar lendo

[Beleza] Batom Hydra Extreme Matte, da Maybelline

batom-hydra-extreme-matte

 

Olá, pessoal! Tudo bem? Espero que, fora o calor insuportável, esteja tudo bem com vocês 🙂

E por falar em calor, como é difícil se maquiar e manter os cuidados corporais e faciais com o termômetro batendo os 40 graus, não é minha gente? Parece que produto nenhum dura na pele! Eu pelo menos tenho que travar uma batalha toda a vez que eu vou sair para fazer a maquiagem durar.

Que dirá o batom! A cada golada de água um pouquinho se perde no bocal da garrafa. A situação piora mesmo quando o batom é cremoso e fica meio gosmento/derretido na boca, por conta desse calorão. Triste, eu sei…

Mas calma, calma, calma que para (quase) tudo nesta vida há uma solução! Eu descobri há uma semana um batom da linha Hydra Extreme Matte, da Maybelline, que é maravilhoso.

Continuar lendo

Apresentação + 15 metas para 2015

retirado de (http://br.pinterest.com/pin/574771971166545062/)

Olá, pessoal.

Meu nome é Tayná, tenho 18 anos e este é o primeiro post aqui do blog. Eu já tentei criar – e manter –  outro blog, mas a coisa não deu muito certo então cá estou eu tentando de novo para ver se dessa vez funciona 🙂

Como tema para esse post decidi compartilhar com vocês as metas que elaborei para 2015. E não há época mais propícia para elaborar uma lista assim do que Janeiro, quando o ano está só começando e a gente ainda está refletindo sobre os erros e acertos do ano que passou, pensando em metas que te desfiem a ser melhor que antes. São um total de 15 metas que eu tentei dividir, sem muito compromisso, entre metas pessoais, “profissionais” (lê-se faculdade/trabalho/futuro) e para o blog <3. Vamos a lista?

1) Praticar minha fé e me aproximar de Deus.

Eis aí uma meta extremamente pessoal e que já está sendo praticada. Escrevendo desse jeito parece um processo mecanizado, mas não é. Ela só está na lista abertamente porque eu me sinto mais feliz e plena quando pratico minha fé e acho que todos deveriam tentar, seja qual for sua crença, ter mais contato com seu lado espiritual nesse ano de 2015. Talvez assim as pessoas passem a cultivar mais amor para si e para o próximo.

2) Ser mais ativa

Eu sou aquele tipo de pessoa de diz “preguiça me define” com mais frequência do que deveria. Decidi que 2015 vai ser o ano de me mexer mais e deixar de lado essa vontade genuína de não fazer nada para aproveitar as pequenas – e grandes – oportunidades que a vida oferecer.

3) Criar e manter o blog

Criar um blog era um desejo antigo meu que por muuitos anos se manteve no modo de espera. Até agora! Com a primeira parte concluída agora só falta manter haha.

Continuar lendo